Curta nossa página


Fique atualizado


Digite seu email abaixo e receba as novidades do site

Perguntas Frequentes


Como baixar?
Filme tá sem legenda?

Digite seu e-mail e receba as novidades do site. A confirmação chegará com nome de feed subscriptions


Termos de Uso e Compromisso

Informamos que os links para filmes antigos, discografias, documentários, coletâneas e livros aqui apresentados estão hospedados na internet sem vínculo ao site. Aqueles que forem baixados, devem permanecer por no máximo 24 horas em posse de qualquer pessoa. O usuário ao baixar qualquer arquivo estará de acordo com os termos aqui descritos e será responsável pela permanência do mesmo em seu computador, sabendo de sua permanência máxima. Os donos, webmasters, usuários e qualquer outra pessoa que tenha relacionamento com a produção deste blog não tem responsabilidade alguma sobre os arquivos que o usuário venha a baixar. Você não pode usar este site para distribuir ou arquivar (com permanência superior à 24 horas) nenhum material do qual você não tenha os direitos legais de uso. É de inteira responsabilidade tua cumprir estas regras. COMPRE O MATERIAL ORIGINAL DO ARTISTA, VÁ AO SHOW E PRESTIGIE O TRABALHO DO MESMO.

Tropicália ou Panis et Circencis (1968)

download Tropicália ou Panis Et Circencis
Tropicália ou Panis et Circencis é um disco liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil, acompanhados de artistas como Tom Zé, Os Mutantes e outros.
Caetano Veloso e Gilberto Gil causaram grande impacto em suas apresentações no III Festival de Música Popular da TV Record, no ano de 1967. Ali, foram lançadas as bases para o Tropicalismo em sua versão musical – um movimento que mesclou manifestações tradicionais da cultura brasileira a inovações estéticas radicais daquela época, como correntes artísticas de vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira (como o Rock e o Concretismo). Antes de fins sociais e políticos, a Tropicália foi um movimento nitidamente estético e comportamental.
Em maio de 1968, começaram as gravações do álbum que seria o manifesto musical do movimento, do qual participaram artistas como Gal Costa, Nara Leão, Os Mutantes, Tom Zé – além dos poetas Capinan e Torquato Neto e do maestro Rogério Duprat (reponsável pelos arranjos do LP).
A primeira música do álbum é “Miserere Nóbis”, de Gil e Capinan. Na seqüência vem “Coração Materno” – canção até então considerada de mau gosto. A faixa-título é interpretada pelo grupo paulista Os Mutantes, com sinais nítidos do conjunto: a psicodelia. “Baby”, grande hit deste álbum, foi cantada por Gal Costa.


  • Carta aos novos navegantes » caipirada intergaláctica disse:
    9 de March de 2012 às 2:45 am

    [...] o Manifesto Antropofágico em forma de canção. O movimento em forma de disco. Roupas coloridas, sexo livre, Brasil futurista. Não temos tempo de temer a morte. Tropicália [...]

  • carlos_diego disse:
    12 de November de 2013 às 6:15 pm

    MuchasGracias!!!!!

  • Gabi disse:
    3 de April de 2014 às 8:25 pm

    Obrigada!


Deixe seu comentário





Current ye@r *